Automação otimiza gerenciamento residencial

PDF
Imprimir
E-mail
Qui, 17 de Novembro de 2011 16:37

Automação otimiza gerenciamento residencial

A Siemens desenvolveu a técnica de automação do instabus®, o qual permite otimizar o gerenciamento residencial com ferramentas de controle.

Iluminação, temperatura e luminosidade de ambiente, agregando ainda funções de equipamentos de segurança, hometheater e de todos os eletrodomésticos. Tudo isso ativado por controle-remoto, voz, internet ou telefone. 

Touch Screen, novo produto do sistema instabus® da Siemens, é uma central de comando multifuncional da residência, servindo tanto para dimerizar a luz do quarto como para emitir um sinal sonoro que avisa se o alarme foi acionado durante a madrugada. Trata-se de uma mini-tela de TV que pode ser instalada em qualquer lugar, inclusive na cabeceira da cama e possui funções como controlar alarmes, luzes e equipamentos eletrônicos. Recebe, por exemplo, informações sobre status da temperatura interna e externa, programa ações como acender ou apagar as luzes, ligar o ar condicionado, alarme ou outros sistemas de segurança, em horários pré-determinados, inclusive simulando a presença dentro da residência na ausência de seus proprietários. 

Instalações inteligentes O Instabus – EIB é uma técnica para instalações elétricas inteligentes. Essa solução permite controlar e monitorar todas as tarefas e procedimentos de uma instalação predial. Além de luminárias e persianas, o sistema permite o controle de temperatura, proteção contra incêndio e terceiros (detectores de movimento e controladores de acesso). Com o Instabus também é possível controlar a temperatura e a luminosidade de um ambiente. O sistema pode ainda ser programado em função das condições ambientais, como o aproveitamento da luminosidade externa a cada período do dia ou a detecção de pessoas no local. 

Versão wireless do sistema TMDS disponível no Brasil 

A subsidiária brasileira é a primeira no mundo a desenvolver a tecnologia wireless doTransformer Monitoring and Diagnostic System-TMDS, sistema de diagnóstico para transformadores. 

A divisão de Transmissão e Distribuição de Energia da Siemens no Brasil traz para o mercado a versão wireless de seu sistema TMDS 2000. Desenvolvido por engenheiros brasileiros, o novo sistema conta com tecnologia wireless de coleta e transmissão de dados da subestação, alimentando o avançado sistema de diagnóstico do estado operativo de transformadores e reatores. O sistema é capaz de detectar até falhas incipientes, dentro de critérios pré-estabelecidos. Com a interface wireless, os usuários do sistema não precisam mais planejar e executar complexas obras civis e de cablagem adicional em subestações de alta tensão. Versões anteriores do sistema usam comunicação via pares trançados ou fibras óticas. “A introdução da tecnologia wireless traz uma série de vantagens para o usuário, especialmente nos quesitos velocidade de instalação e custo”, afirma Arthur Lavieri, diretor da divisão de Transformadores da Siemens no Brasil. 

Os sistemas TMDS 2000 (monitoramento de transformadores) e TMDS 3000 (sistema de monitoramento para subestações descentralizadas) complementam a gama de produtos e serviços da empresa para o mercado de transformadores, que vai desde a fabricação de grandes equipamentos de 800 mil Volts até serviços de reparo, repotencialização e consultoria de análise de risco e estado operativo. “Com a aplicação dessa tecnologia, damos mais um passo no nosso compromisso de disponibilizar para o mercado um portfólio completo de produtos e soluções que garantam o mais importante: a confiabilidade do sistema de transformação de energia”, conclui Lavieri. 

Sobre a unidade Energia da Siemens no Brasil 

Há 100 anos, a Siemens é uma das empresas líderes do mercado eletroeletrônico brasileiro, com atividades nos segmentos de negócios Information and Communications, Automation and Control, Medical, Power, Transportation e Lighting. O grupo no Brasil possui mais de 10 mil colaboradores e é composto por 15 fábricas. No ano fiscal encerrado em outubro de 2005, a unidade de Energia faturou R$ R$ 793,1 milhões e obteve R$ 1,1 bilhão em entrada de pedidos.