Ponte João Isidoro França sobre o Rio Poty, Cidade da Música, Sede da Construtora Consciente e Prédio da Aciaria da TKCSA são escolhidos os melhores em 2010
Ana Paula Rocha

A Abece (Associação Brasileira de Engenharia e Consultoria Estrutural (Abece) e a Gerdau premiaram, no dia 27 de outubro, os vencedores do 8º Prêmio Talento Engenharia Estrutural, destinado às obras de engenharia mais criativas nas categorias Pequeno Porte, Obras Especiais, Edificações e Infraestrutura.

Realizado anualmente, o concurso tem o objetivo de divulgar no meio técnico os trabalhos de engenharia de estruturas realizados nos últimos cinco anos que se destaquem quanto à concepção estrutural, processos construtivos, uso adequado de materiais, originalidade, monumentalidade, implantação no ambiente, esbeltez/deformabilidade e estética/economicidade.




Na era das novas tecnologias e das carreiras bem-sucedidas, grande parte dos nossos lares possuem hoje uma divisão que antigamente não existia – o escritório. Há quem diga que esta parte da casa foi criada única e exclusivamente para receber o computador e é capaz de ser verdade!


Só que com o PC, o escritório tornou-se depósito de papéis, contas e livros que nem sempre são fáceis de organizar. Por isso, com estes 20 ideias vamos ajudá-lo a transformar o seu “armazém” num espaço funcional, aonde apetece estar e… trabalhar!


As primeiras obrigações solares térmicas no mundo já estão em vigor há mais de 30 anos. Estas obrigações em geral se constituem de disposições e normativas legais que impõe a instalação de sistemas de aquecimento solar nas edificações urbanas.


A obrigação está geralmente ligada à construção de novas construções ou de obras de reforma e, portanto, é de responsabilidade dos construtores e dos usuários assegurar e garantir que o sistema de aquecimento solar seja instalado de acordo com os requisitos técnicos específicos que costumam variar de legislação para legislação. Encontram-se ainda muitas obrigações solares térmicas que estão relacionadas com a regulamentação térmica ou de eficiência energética de edificações.

INCC ficou 0,05 ponto percentual menor do que o registrado no mês anterior
http://www.piniweb.com.br/

Marcelo Scandaroli

O Índice Nacional de Custo da Construção-M (INCC-M) registrou em outubro taxa de variação de 0,15% abaixo do resultado do mês anterior, de 0,20%. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Economia (IBRE), da Fundação Getúlio Vargas (FGV). No ano, o índice acumula variação de 6,56% e nos últimos 12 meses, 6,97%.

No quesito Materiais e Equipamentos, houve variação de 0,26%, ante 0,36% no mês anterior. A parcela relativa a Serviços variou 0,29% no mês, ante 0,32% em setembro. No índice relativo à Mão de Obra, houve variação de 0,03%, ante 0,04% no mês anterior.


Desde a mais simples troca de fiação até o reforço da estrutura de um edifício, toda e qualquer obra é um transtorno. Portanto, os procedimentos devem ser coordenados com planejamento e sabedoria. Senão, o que era para ser uma melhoria se torna um inferno.


Para consertos e pequenas obras que não afetem a conformação das áreas comuns ou alterem significativamente a distribuição das instalações prediais, a aprovação da assembléia pode ser sobre orçamentos de firmas ou profissionais autônomos especializados.

Para obras que afetem a fachada, a estrutura do prédio, que modifiquem áreas comuns ou alterem as instalações prediais, aconselha-se que haja um projeto e orçamentos elaborados por profissionais capacitados legalmente e aprovados por assembléia especialmente convocada para tal, observando-se o quorum necessário ditado pela convenção.

De acordo com o Novo Código Civil, a realização de obras no condominio depende:
- se voluptuárias, ou não fundamentais, de voto de dois terços, ou seja, de pelo menos 66 % dos condôminos;
- se úteis, ou fundamentais, de voto da maioria, isto é, de pelo menos 51 % dos condôminos;
Seja qual for a finalidade da obra, o projeto deve passar por assembléia, e caberá ao Síndico (ou na ausência deste, um condômino) tomar a frente dos reparos.

Licenciamento para execução de obras de reformas normalmente não é necessário, mas nos casos que alterem o projeto original do prédio como modificações ou reforços estruturais, obras em prismas de ventilação ou que alterem o gabarito de altura,etc., o profissional a ser contratado para a execução saberá como proceder e orientar o condomínio.

Pode vir a ser necessário tirar o alvará de Aprovação e Execução para Reforma. Neste caso, você deve providenciar os documentos necessários para obter esta liberação. Para mais informação, o síndico deve entrar em contato com o Departamento de Obras da prefeitura de sua cidade com o projeto de modificação em mãos.

Se possível, o síndico deve procurar empresas cuja idoneidade seja referenciada, seja por trabalhos já realizados no prédio ou por boas atuações em prédios vizinhos.

O cronograma de obras deve ser seguido sempre que possível, com previsão inclusive para imprevistos e intempéries (chuvas, ventos e outros fatores climáticos que desacelerem o trabalho). Todas essas providências evitam atrasos muito extensos, e conseqüentemente, crises entre os moradores.

Lembre-se que enquanto as obras estiverem em andamento, o síndico com certeza ouvirá muitas reclamações de condôminos incomodados com a poeira e o barulho.

Fonte:www.tudosobreimoveis.com.br